ELETRONEUROMIOGRAFIA

A eletroneuromiografia (ENMG) é utilizada para detectar alterações nos nervos periféricos dos membros superiores e inferiores, os quais podem sofrer lesões em doenças ocupacionais (do trabalho), traumáticas (acidentes de motocicletas, de carro ou por armas de fogo ou branca), podendo ainda alterarem-se nas doenças metabólicas (diabetes mellitus, alcoolismo, hipo ou hipertiroidismo ), infecciosas e degenerativas(ELA).

Geralmente os pacientes se queixam de alteração da sensibilidade, como áreas anestesiadas (adormecidas), com parestesias
(sensações de formigamento, de “pontadas” e de queimação) e de distúrbios motores, como redução da força, perda de massa muscular (atrofia), caimbras e tremores .

O exame eletroneuromiográfico é composto por duas partes: estudo da condução nervosa e a eletromiografia.

No estudo da condução nervosa, são realizados estímulos elétricos de baixa intensidade nos nervos periféricos, sensitivos e motores. O registro das respostas destes nervos é feito por meio de eletrodos, colocados em pontos específicos do trajeto do nervo a ser estudado.

Na eletromiografia, é colocada uma agulha muito fina e descartável em alguns músculos e realizado o registro da atividade espontânea destes músculos, durante a inserção da agulha e durante o repouso muscular. Logo em seguida, é avaliada a atividade do músculo durante a contração muscular. Nesta etapa, não há nenhum tipo de estímulo elétrico ou injeção de nenhuma substância. O objetivo é registrar apenas a atividade do próprio músculo.

• Neuropatias compressivas (ex.: Sindrome do túnel do carpo, canal cubital);
• Polineuropatias periféricas (ex.: polineuropatia periferica diabética, etílica, tiróide, Hansen);
• Plexopatias (ex.: lesões dos plexos braquial, lombar e sacral);
• Mononeuropatias traumáticas (ex.: lesão em um único nervo, por algum trauma);
• Paralisias faciais (ex.: paralisia facial periférica);
• Miastenia gravis (ex.: doença da junção entre o nervo e o músculo);
• Dermatomiosite e Polimiosite (ex.: doenças musculares de caráter inflamatório);
• Doença do neurônio motor  (ex.: Esclerose lateral amiotrófica, poliomielite);
• Radiculopatias (ex.: Afecção de alguma raiz medular nas hérnias de disco);
• Miopatias (ex.: Doenças musculares como as distrofias).

Recomendações

Faça sua pergunta